Sobre

Alvôco das Várzeas é uma povoação muito antiga, provavelmente anterior à nacionalidade. O aparecimento de mós e moedas e o legado de antroponímicos que ainda hoje existem em Alvôco provam que esta povoação foi ocupada pelos romanos devido, talvez, à proximidade das explorações mineiras existentes nas várzeas do rio Alvôco.
Nesta localidade é obrigatório visitar a Ponte Medieval – classificada como Monumento Nacional – sobre o Rio Alvôco, que terá sido construída no século XIV de estilo gótico – românica, com boa construção de alvenaria, muito sigilada e possuidora de dois arcos.
Curiosas são as Alminhas do Terreirinho que segundo a superstição popular é um local onde se reúnem as bruxas para o “congresso” e “acções de formação”, situada à saída da povoação, na estrada de Alvôco das Várzeas para a Carvalha.
Ao longo das margens do rio Alvôco existem diversos moinhos alguns ainda em funcionamento. Pode ainda ver o sistema de irrigação comunitária, talvez o maior da região, sendo provável que remonte à época romana/árabe, designado por Levada. Existem duas levadas, a maior, com 7 km, começa ainda na freguesia de Vide e percorre a margem esquerda, numa extensão de 3 km, tem origem no açude de Candam (Parente) e termina no lagar antigo de Alvôco.
A Quinta da Moenda é um antigo assento de lavoura constituído por três edifícios, um antigo lagar de vara de 1770, um moinho e uma destilaria, dos quais foram respeitados os volumes e arquitectura originais, para uma unidade de turismo em espaço rural. Junto a esta esquina existe um açude onde o rio se alarga oferecendo uma bela perspectiva do vale em direcção à Serra da Estrela.
Destaque para as margens e encosta do rio Alvôco, onde se encontram espécies de fauna e flora raras na região. Lontras, garças, pica-peixes, guarda-rios ou martim-pescadores, trutas, cucas, pim-pilros, azevinhos; na flora são de realçar as encostas da Presa e Barreiros (viradas a norte).
Esta é uma das povoações do concelho de Oliveira do Hospital mais rica em lendas, bruxas, lobisomens, princesas, amores eternos, saudades… de tudo um pouco a população se foi servindo ao longo dos tempos para contar histórias, umas de encantar, outras de arrepiar.
Paulo Leitão/Licínia Girão
in Roteiro Turístico de Oliveira do Hospital

Ordenação Heráldica do Brasão (cortesia CMOH)
Escudo de prata, sobreiro arrancado de verde, descortiçado e glandado de vermelho; em campanha, ponte medieval de dois arcos, de negro, lavrada de ouro, movente dos flancos e de um pé de três tiras ondadas de azul e prata. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: «ALVÔCO das VÁRZEAS».

Breve resenha histórica (cortesia CMOH)
A Freguesia de Alvôco das Várzeas foi inicialmente um curato dependente de Penalva de Alva, a cujo concelho pertenceu, até à sua extinção em 1853. Posteriormente, foi anexada pelo concelho de Sandomil e, com a extinção deste último, transitou para o concelho de Oliveira do Hospital a 24 de Outubro de 1855.
Caracterização Demográfica (cortesia CMOH)
Local: Freguesia de Alvôco das Várzeas
Área: 11,62 kM2

População, dados obtidos no inquérito nacional “CENSOS” de 2011:
População total: 320
População masculina: 138
População feminina: 182

População, dados obtidos no inquérito nacional “CENSOS” de 2001:
População total: 366
População masculina: 165
População feminina: 201